Aux vénérables messieurs du club du hashishins

(Aos distintos senhores do Club do Haxixe)

Dei dois tragos,

Que me deram dois versos,

Tão perfeitamente convexos,

Que me assustei, confesso.

Era pura poesia,

Que do nada vinha,

Surgia, assim, simples,

E deixava minguante,

Minha cara triste.

Tão perfeita no espaço,

Eu a via, mas não atingia.

Esticava a angústia,

Entrava em colapso,

Mas apesar dos atos,

Ela se desfazia,

Só me deixando a melancolia.

[P.k.]

Anúncios

2 comentários em “Aux vénérables messieurs du club du hashishins

  1. Dom,tudo o que se desfaz e deixa melancolia é extremamente poético,infelizmente rs Gosto quando você escreve leve mesmo quando o texto é melancólico.É lindo quando as palavras começam a sair dos dedos e você não tem controle.Assusta,mas é lindo.Sou suspeita porque já conhecia o texto,e já tinha elogiado,fica aqui o elogio pela segunda vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s