Assim, pra todo mundo ver.

A sensação de impotência

(que dói)

De me achar uma verdadeira idiota.

Mulher é cargo difícil de agüentar e eu carrego nas costas

(e agora me pergunto se devo andar pela calçada ou no meio das suas pernas)

E suspiro na folha em branco tudo o que eu queria dizer e não consigo

(com medo de que o amor como veio, acabe)

E que no final eu seja algumas coisas vividas

(Enquanto você é algo que eu nunca vivi antes)

Se você soubesse o sentido que faz as suas pernas no meio das minhas…

(Ia entender o quanto é duro isso tudo tão novo e esse não saber lidar)

Tudo faz um sentido absurdo,

(Quando você me toca, e assim toca toda a minha vida)

Cala a minha boca e me promete que vai me amar essa semana inteira

(E eu prometo que não quero ser mais nada além de ser corpo estirado na sua cama)

Anúncios

Um comentário em “Assim, pra todo mundo ver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s