It’s all so quiet

Eu chego do frio e o Rio De Janeiro me cheira a chuva. Me mudo de quarto na mesma casa para ver se assim encontro algumas coisas perdidas. Voltei de viagem sem ver meus reflexos no lugar que me pertence. Voltei para casa sem saber que casa é. Ando muito silenciosa e incomodada com o silencio alheio.

Se sou eu quem finalmente se cala alguém precisa preencher o vazio.

Escrevo textos e paro no meio. Não chamaria exatamente de tristeza. Quando fico sozinha me soa como incômodo. Não tenho mais idade para crise existencial. Aliás, para essas coisas não se existe idade, mas no meu caso e pelo signo do zodíaco, não existe paciência.

 

Eu não quero declarações de amor rasgadas, expostas e melosas, não quero tensão de fim de festa, não quero brigas na escada do prédio, não quero o amor que eu buscava há anos atrás. Não quero dividir nem a casa nem as contas, não quero o ciúme, a posse, a insegurança. Não quero a insegurança, não quero a insegurança, não quero o auto-sabotamento em prol da literatura e nem alguém que não exista sem mim. Eu só quero existir de forma calma, silenciosa do jeito que eu estou agora, mas quero amor nas entrelinhas, entre as pernas, entre nós. E não precisa ser alto. Só é preciso que exista.

P.G

Anúncios

2 comentários em “It’s all so quiet

  1. Passou de passagem

    Passou a minha frente Paula, Paula que passa.
    Passagem tão cheia de intensidade, que, nem no Rio de Janeiro, no começo de janeiro, aterrizaria.
    Terras distantes, nós de passagem, passando por montes, depressões, miragens
    Frio na espinha, frio na barriga, frio do comportamento de povo que la residia

    Dentro de nós alegria, emoção.
    Sentimentos quentes, passageiros e parasitas,
    Que fincam nossos pés no chão, até sentirmos as raízes às cabeças
    Choram todos, resgatando o adormecido

    Sinto árido, sinto sal, sinto ar rarefeito, sinto depressão, sinto cansaço,
    Sinto sede, sede de saber muito mais
    O que em mim dormia, acorda
    O que não me fazia falta vira a falta que me faz

    Como me faz falta tudo que passou
    E, de tudo que passa, fica a passagem, que, como no livro, eterniza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s