Din Don

 

toca o sino

e eu desperto

para o cinismo

 

vou levantar

sorrir mais largo

ser mais esperto

 

vou aprender

a não olhar

para aqueles que são tristes, os únicos sinceros.

 

 

[CJ]

Anúncios

Idioma

 

————————————————————————————————————————————————-

Bula:

Há duas diferentes maneiras de ler-se este poema.

A primeira e mais aconselhável é tomá-lo como hispânico. Isto facilita a digestão do componente autoexplicativo nele presente, e, do título ao último verso, deixa-o em plena harmonia gramatical.

A segunda e última consiste em enxergá-lo como bilíngue, o que implica em associá-lo à Vicky Cristina Barcelona, como verificado na totalidade dos testes empíricos realizados.

Quaisquer outras interpretações devem ser consideradas devaneios, desvios semânticos da crítica.

————————————————————————————————————————————————- 

 

Claro está

que este paradigma

se aplica:

 

todos estamos

familiarizados

con el español.

 

 

[CJ]